segunda-feira, 29 de junho de 2009

Aversos e Reversos

Protesto em 1968 - Ditadura Militar no Brasil

Liberdade
Palavra tola, subjetiva, chavão das revoluções
Bordão dos vazios
Clarão de ilusões

Liberdade
Simula um sentimento solto
Que finge andar por aí sem rumo
Engana a gente sem sumo
Sem húmus

Palavra hipócrita
Livre de definições
Presa a condições

Brota da mente de sonhadores
Morre no coração dos ditadores
Frustra o olhar do poeta
Pinta na testa
Molha o coração
Entra pela fresta
Letra em canção
E mestra, brasa em emoção

João Victor

8 comentarios:

Gabriela Moura disse...

ta falando essa vontade hj em dia...

Lucas de Souza disse...

quando achamos que os tempos são outros e que a liberdade é fato consumado, estamos nos enganando e sem forças pra lutar. Essa semana mesmo em Honduras, um governo democrático que por uma consulta popular em forma de plesbicito teve o governo capitulado e a mídia brasileira noticiou no rodapé das páginas de jornais.
Temo pela liberdade conquista por nossos pais, tenho medo da instauração de um regime intransigente ainda hoje.
Abraços
Lucas de Souza Oliveira

www.eleteimou.blogspot.com

João Victor disse...

Olha meu nome, rs.
Ótimo poema. Ótimo blog!
Vou te seguir, me siga, haha

Tiago Dadazio disse...

QUE LOCURA É ESSA?

Paty =] disse...

QUE LOCURA É ESSA? [2]

JOão Victor disse...

Querem uma explicação?
Err... deixo a todos algumas palavras do mestre Mário Quintana:
"Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro."
ahsuashaushaush'
Só pra descontrair...

KGeo disse...

liberdade é algo que se tem por pouco tempo depois você volta para prisão.

Paty =] disse...

hahahahaha...
Orra, caaaaalma, Reelaxa, so te perdoo, porque amo quando alguem fala com paixão da sua obra...
Não sabia que era voce que escrevia, merece minha concideração especial...
Eu tbm escrevo algumas coisas, mas mais sobre o amor (casal) e nao amor generico, que escrever já é amor!
haiuhsuiahsiuaiu
agora eu que peguei um embalo
Beijo