quinta-feira, 30 de julho de 2009

Bolo, amigos e FESTA!

Semana passada, meu aniversário. É. Parabéns pra mim! rs'
Comemorei em dois dias. No dia mesmo, 23 de julho, a noite em casa com família toda reunida e talz, naquele esquema.
E como não podia ser diferente, seguindo a nova tendência dos "aniversários fora de época", comemorei no domingo. Essa coisa de "fora de época" realmente pega. É carnaval fora de época, liquidação fora de época, porque não aniversário?
A idéia surgiu do meu professor de física (é claro! já dá pra perceber que a pessoa não é normal) que resolveu comemorar seu aniversário em novembro (o dia do nascimento dessa "coisa" é em dezembro!!). Parece que era perto do Natal e tudo mais. Aí as festas dele nunca enchiam. Então ele resolveu por essa idéia em prática.
galerë já fez festa fora de época pra amiguinha Julia Nevares. hahaha'
Depois de uns 6 meses de ter completado 17 anos, a menina ganhou bolo, com direito a "parabéns pra você" e foto!
Dessa vez fui eu. Churras, amigos, e babaquices como sempre.
Até exploramos a "selva" atlântica aqui! hahaha'
Ah, sem contar na porta suicida.... Acompanhe a foto abaixo

Essa é a porta suicida daqui de casa. É uma porta no segundo andar que dá para a rua. Cuidado! Só deve abri-la se tiver absoluta certeza!!! kkk'
Enfim, dia bom! Comemore você também mais vezes o seu aniversário. Assim você ganha mais presentes, bolo e festa!! =)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Vida e vestibular: nem sempre concordo com o gabarito! =/

Eu, alguns outros amigos [desesperados!] vestibulandos e Tia Salma [adooro muito]

Pra relaxar nesses momentos de tensão de vestibular nada melhor que um pouco de Veríssimo!

MÚLTIPLAS ESCOLHAS (Luís Fernando Verríssimo)

1) Você faz o vestibular. Você:
a) passa.
b) não passa.

2) Você passa no vestibular. Você:
a) comemora com colegas que também passaram, abraça todo mundo, grita, quando vê está pulando no mesmo lugar abraçado a uma menina que você nunca viu e que se chama Maria Cristina.
b) comemora com seus familiares, faz todo o seu curso sonhado de Engenharia, custa a arranjar emprego, finalmente se associa a um primo e abre uma lavanderia, casa, tem filhos, netos, uma vida razoável e morre de uma falha do coração artificial em 2044.

3) Você não passa no vestibular. Você:
a) pensa em se matar, pensa em se dedicar ao crime, finalmente decide fazer um curso técnico, torna-se líder sindical, depois entra na política, acaba sendo o segundo torneiro mecânico eleito presidente na História do Brasil.
b) tenta de novo, e de novo, e de novo e acaba casando com uma viúva rica que é, inclusive, dona de uma universidade.

4) A Maria Cristina lhe dá seu telefone. Você:
a) não liga para ela, nunca mais a vê, e sai desta história incólume.
b) liga para ela, e vocês combinam se encontrar, apesar do seu pressentimento de que aquele sinalzinho que ela tem perto do canto da boca não pode dar em boa coisa.

5) Você e a Maria Cristina se encontram, na casa dela. Ela:
a) está sozinha em casa.
b) está com o pai, a mãe, um irmão/armário, duas tias grandes e um pit bull e nada acontece.

6) Ela está sozinha em casa. Vocês:
a) se amam loucamente e juram que nunca mais vão se separar.

7) Vocês se amam loucamente e juram que nunca mais vão se separar. Você:
a) a pede em casamento, e ela aceita.

8) Você a pede em casamento e ela aceita. Você:
a) chega em casa com a notícia, a sua família não concorda, diz que aquilo é uma loucura, que vocês são muito jovens, que precisam pensar, que onde se viu, que não contem com o dinheiro deles, que você vai jogar a sua vida fora por um sinalzinho perto do canto da boca, que blablablá, e você sai dizendo que vai fugir com ela e pronto e bate a porta.
b) chega em casa com a notícia, que causa um escândalo, e você se convence que seria loucura mesmo, que o melhor é namorarem, os dois terminarem a faculdade, e no fim, se o amor ainda existir, pensarem no que fazer, e sua história também termina aqui.

9) Você a pede em casamento, ela diz que é melhor dar um tempo, você concorda, mas semanas depois ela diz que está grávida. Você:
a) casa com ela.
b) foge para Curitiba.

10) Você a pede em casamento, ela aceita, seus pais não aceitam, os pais dela não aceitam, você foge com ela. Você:
a) é obrigado a desistir de estudar e acaba vendendo artesanato na calçada para sustentá-la, sentindo que jogou a sua vida fora e lamentando a comemoração do maldito vestibular.
b) e ela vão viver em Santa Catarina, amam-se loucamente, mas voltam duas semanas depois, a tempo de se inscrever em suas respectivas faculdades, e ficam bons amigos.

11) Ela diz que está grávida e vocês decidem se casar, com a bênção resignada das famílias. Você: a) usa a ajuda que recebeu do seu pai para comprar uma van a prestação, acaba com uma frota de vans, fica rico, aparece na Caras, tem filhos e netos e morre de uma falha do coração artificial em 2044.
b) descobre, horrorizado, no altar, que o sinalzinho perto do canto da boca era pintado e agora está perto do olho, e pensa em como seria bom se a gente pudesse voltar atrás e corrigir todas as escolhas erradas que fez na vida, mas como saber se a escolha era errada ou não, já que a vida não tem gabarito?

12) O padre pergunta se você aceita a Maria Cristina como sua esposa. Você:
a) diz "sim".
b) foge para Curitiba.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

sweet instant


Doce que doce
Estrelinha do mar
Vem me encontrar
Vem me ninar

Seus olhos brilham
Espelhos a sonhar
Vou com você
Riso, brilho, luar

Num quarto escuro
Triste a chorar
Doce que doce
Mais doce a sonhar

Nas almofadas
Do seu coração
Pulo e me aqueço
Ao toque das mãos

Vejo um clarão
Você vai entrar
Doce que doce
Vem me abraçar

Ela: minha inspiração")

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Loucura de sãos

Salvador Dali. Por An-Chin Cheng. 1997


Isso aqui não é poesia
Não é prosa
Não tem ambição de ser arte
Não é sobre o mundo
Sobre os problemas no senado
Nem sobre aquecimento global
ISSO é um desabafo

Quero falar
Falar não, gritar
Gritar bem alto
Quero que escutem
E calem
Não quero opiniões
Sugestões são proibidas
Nem que seja um simples conselho
Aqui impera a ditadura
Aqui impera o rei absoluto

Dessa vez é diferente
Não quero brincar
Nem ser sutil
Não quero explorar palavras
Não quero rima
Não quero métrica
Não quero forma
Eu quero gritar

Ouçam pobres miseráveis
Ouçam falsos moralistas
Escutai, ó realeza

Cansei de viver de migalhas
Não vou obedecer
Eu não sou padrão

Quero um remédio
Quero um veneno
Quero overdose de paz
Sem choro
Sem riso
Sem nada

Sem cara
Sem peito
Sem roupa
Sem resposta
Sem palavra

Calem-se!
Escutem!
Não quero murmúrios!
Não quero gemidos!
Não quero susurros!

Zi
Crato
Não quero ser entendido
Quero que me compreendam
Chamem um padre
Chamem um pai de santo
Um apóstolo, pastor, santo milagreiro
Quero um exorcismo

Exorcismo desse lixo
Dessa gente medíocre
Nem boa, nem má
Média

Vou vomitar em cima de vocês
Vomitar essa água morna
Esse mais ou menos
Vomitar essa comida barata

Calem-se!
Ainda não terminei

Só saiu daqui com meu corpo imaculado
Não quero mancha
Não quero doença

Voltem aqui!
Tranquem a sala!

A palavra é minha voz
Minha morte, minha vida
Ouçam
Um som
Tac
Tac
Tac Griz

Alguém bate
Alguém arranha
Não abram
Pode ser um estranho
Não quero mais ninguém aqui
Quero vocês
Escutem
Meu choro mudo
Minha lágrima órfã
Solitária
Quente
Úmida
Meu brado forte
Meus murros ao vento
Agora ordeno
Não peço
Me matem
Sem pena
Andem logo
Eu conheço vocês
Cada um
Estão loucos pra ver caído
Aqui no chão
Sangue escorrendo

Seus rostos
Caras de assombro
Não me iludem

Peguem uma faca!
Um punhal!
Calibre 38
R -15
Fuzil
Morte ao rei!
Morte ao poeta!

Quero uma morte brutal
Quero lhes dar esse prazer
Cortem minha cabeça
Meus pés
Minhas mãos
Só não calem minha voz

Quero gritar
Um grito mudo
Um grito surdo

Ó escutai
Escutai nobres assasinos
Escutai corja real
Escutai santo episcopado

Aqui jaz o rei
O santo
O nobre
O divino orixá
Péssimo filho
Falso amigo
Louco
João Victor

sexta-feira, 10 de julho de 2009

O Nascimento

Primeira Fisgada
Olhos molhados, vestido molhado
O momento chegou
Panos quentes, lençóis limpos
Papel branco, lápis, livros

A cada contração um espasmo no rosto
Uma lágrima nasce de seus olhos cansados
Alegria ou dor? Corpo pesado

O ventre já não lhe basta
Quer ver gente
Quer ser visto
Então sussurra por dentro:
“Deixe sair”
Cada vez que repete essas palavras
Como um mantra sagrado de dor
Um estalo sangrando de amor

Tudo se contrai e se espande
Um grito mudo
E à luz do mundo
Nasce canção
Nasce grande, forte e valente
Nos braços da progenitora
Chora ela
Chora ele
Sorri a vida
Um sorriso desenhado nos lábios
Toque suave feito lã
Poeta eis aí teu filho
Poesia eis aí tua mãe


João Victor
"Maternidade". José Sobral de Almada Negreiros. 1935. óleo sobre tela.

domingo, 5 de julho de 2009

Jardim Botânico


Flores e verde. Passarinhos e micos (que lindinhos hihi). Lá que eu passei toda a manhã.
Ao som de "Vem meu amor, as flores estão no caminho" cantada repetidas vezes na minha cabeça e pela minha bela voz... kkk'
Algumas fotos, alguns amigos.
Fotos estranhas, amigos perfeitos!
Lago, cenários lindos, palmeiras que pareciam tocar o céu e beijar as nuvens
Amigo Wikipedia, leia-se Daniel, me ensinou mais do que eu tinha aprendido durante todo o ano passado sobre angiospermas e tudo isso mais...
Pontos marcantes. Jardim japonês (ou será chines? whatever). Tranquilo, calmo e japonês.




Thayani. sublime companhia. Que me aguentou cantando durante mais de 2 horas.

Destaque para a foto abaixo:



Realiza a cena: Eu com uma cara de que comeu e não gostou com as mãos no que, segundo nossa fértil (ou se quiser, fétida) imaginação seria igual a mesa usada para matar o leão do filme Crônicas de Nárnia. É. Pode rir se quiser. Eu já ri o suficiente


Fui logo cedo pro cursinho e nem deu tempo de aproveitar os amigos. =(
Saí levando amigos na mente e momentos no bolso, deixando lembranças, caretas e pegadas marcadas por flores
Como não podia ser diferente termino com palavras do sábio guru Flausino: "as flores estão no caminho"