sábado, 1 de agosto de 2009

A Porta

Minha casa não tem janela. Invés de tijolos, pedras. No lugar de luz, escuridão. Aqui o ar é rarefeito. É preciso respirar fundo para enfrentar as terríveis noites. Terríveis e intermináveis. Só se ouvem o estalo do pingo d’água na pedra gelada, gemidos, ecos, vozes sem dono.
Na minha casa só há uma porta. A porta de saída. As astes de aço refletidas pela chuva. Os vidros. Espelhos para o mundo. Seria aquilo mesmo real?
As cores. Amarelo. Vermelho. Cor púrpura que me paralisa. Quero um vermelho que não seja pecado. Q uero um vermelho velado. Vermelho que não seja sangue. São só imagens. Apenas sonhos. Só conheço um vermelho. Aquele que corre nas veias. De resto tudo é opaco.
Ainda que não seja verdade, quero atravessar o portal. Ver a mentira. Ver o oculto. Tocar o impalpável. Respirar a atmosfera dos pássaros. As pedras impendem minha loucura. Uma voz de acusação. Alguém mais aqui? Claro que não. É apenas meu medo querendo me podar. Detesto minha prudência.
O sol tímido reflete no vitral da minha salvação. É só abrir. Alguns passos. As mãos frias e molhadas pela ansiedade tocam a fechadura. Mais uma vez as pedras sussurram. Será um aviso? As pedras não falam, não seja fraco. A porta se abre sozinha (ou terão sido minhas mãos apressadas?) Meu corpo não me ouve.
Apenas escuto o riso das folhas. Elas me chamam. Dizem meu nome, posso escutar. Os pés vacilam, o vento me empurra. Adeus casa. Adeus pedras. Adeus cinza opaco.
O corpo sente o vento contra si. Já não se meche. Olhos abertos para os últimos segundos. Um pensamento de relance: “Terá valido a pena?!” Apenas um milésimo de susto.
Não quero morrer sem antes ver os pássaros. Sentir o aroma das frutas. O vento contra o rosto. O vermelho que é verdade. O vermelho das maçãs. Não quero morrer com cinza. Quero morte em vermelho. Sangue vivo molhado pela chuva. Reverenciado pelo Sol. Não vou morrer antes do primeiro suspiro. Pelo menos enquanto caio, vejo um chão que não é pedra. E que o homem ao pó da terra retorne.

5 comentarios:

Jotavê disse...

eu fica estático com seus poemas, são lindos *-*

mas a casa vai abrir janelas e portas, vai tudo pintar-se com as cores do arco-íris e verás que tudo na sua vida é alegre e te faz feliz *-*

Paty =] disse...

Adoooorei

Ademerson Novais disse...

È muito bom quando caimos num lugar onde as linhas se funde..nos leva para dentro da gente e nos joga para o mundo real....gosto muito quando caio assim num lugar desses onde mexe com nossa imaginação e mistura sentimentos...mistura o concreto o abstrato...mistura o vivo..a ilusão...


Ademerson Novais de Andrade

Espero que um dia visite meu blog...

Wallace Fernandes disse...

Muito bacana o seu blog Jhon.
adorei as postagens e o Designer!

abraços

Daniel Braga disse...

Adorei o layout do seu blog, muito legal. O final da postagem ficou muito bom. Mas como disseram acima... coloque mais cor na sua vida. Pode ser melhor do que cê pensa...

~Até mais ver. Qualquer hora, visite meu canto. Abraço.

*DB*